(Fonte: UOL)

Para um determinado tipo de comerciante, o período do ano em que se comemora a Páscoa é comparável ao Natal. Os “empreendedores do chocolate” aproveitam o apelo da semana para vender mais chocolates. E a procura é por produtos de todo tipo: em barra, ovos de Páscoa, bombons, trufas, etc.

Por isso, vale a pena pensar nesse momento com muito carinho e criatividade para fazer bons negócios. O lucro é certo.

Segundo a Abicab (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates), o Brasil é o quinto produtor mundial de cacau e o terceiro maior produtor de chocolates do mundo, somando cerca de 732 toneladas em 2012. Normalmente e fora de períodos como este, o consumo de chocolate em todas as formas é de cerca de 2,5kg por brasileiro.

Hoje, o que não falta são opções para os mais diversos gostos dos chocólatras, sobretudo na região sudeste do país. Para a Páscoa, principalmente, vemos a grande quantidade de ofertas de chocolates temáticos como os “ovos de colher”, grande febre que vem ganhando a preferência dos consumidores desde quando foi lançado. Tipos “gourmet” também são boa pedida para o período e costumam ter bastante saída, apesar do preço um tanto “salgado”.

Importante observar, nesse sentido, a abertura de um nicho que parece apontar para a necessidade de um produto de qualidade com um preço competitivo – ainda mais em ano de crise, recessão e desemprego nas alturas. Usar a criatividade e comercializar um ovo de Páscoa que dê água na boca dos clientes é tarefa-chave para fazer dinheiro. Se estiver em um preço que possa competir à altura com o mercado, tanto melhor. É preciso, para isso, fazer um cálculo bem cuidadoso do preço de custo e de venda do seu produto, para não ficar no prejuízo.

O setor de chocolates ainda tem espaço para empreendedores. Empresas já conhecidas seguem vendendo bastante, mas para se ter uma ideia, das 3.254 lojas de chocolate premium catalogadas pela Abicab, 24% pertence a nomes independentes ou licenciados. Em lugares onde o clima favorece, como a própria cidade de Teresópolis (interior do Rio de Janeiro), mais espaço há para os chocolates feito artesanalmente, que terão menos chance de derreter por conta do suposto calor.

Não tem desculpa: ainda dá tempo de pensar em uma solução prática e simples para ganhar uma quantia extra nessa Páscoa. Aproveite!