Como montar a sua própria lanchonete

A crescente demanda por tudo que envolve o ramo alimentício é um dos fatores que tornam a abertura de uma lanchonete um empreendimento com potencial de viabilidade. O ramo de alimentação é o segundo maior gasto do brasileiro, antecedido somente por gastos com habitação. Segundo a Pesquisa de Orçamento Familiar 2008/2009 publicada pelo IBGE em 2010 (a última versão da pesquisa disponível até março de 2017), o percentual médio de gastos mensais das famílias brasileiras com alimentação corresponde a 19,8% do total de despesas do mês.

Segmentando-se estes gastos, dados da mesma fonte indicam que 23,8% destes dizem respeito a café, leite, chocolates, sanduíches, salgados, lanches, refrigerantes e bebidas não alcoólicas, produtos diet, light, sem glúten ou lactose… ou seja, potenciais produtos comercializados em lanchonetes.

Além da identificação de demanda potencial para o negócio, a atividade de lanchonete mostra-se vantajosa por não haver necessidade de determinação de público alvo específico e de consequentes ações diferenciadas para tais, já que se trata de um negócio bem aceito pela população de todas as regiões do país e de todas as classes sociais, dependendo do padrão do estabelecimento. Outra questão é a comodidade e praticidade que envolve o consumo nestes estabelecimentos, fatores que sustentam a demanda e fortificam as empresas do ramo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *